Cante Alentejano é Património Cultural Imaterial de Interesse Municipal em Castro Verde

O Município de Castro Verde aprovou, ontem, 21 de fevereiro, em reunião da Assembleia Municipal, a classificação do Cante Alentejano como Património Cultural Imaterial de Interesse Municipal.

Esta decisão demonstra a vontade do Município de Castro Verde em promover a contínua preservação e valorização desta expressão artística identitária e é, em primeiro lugar, o reconhecimento pelo trabalho desenvolvido há décadas pelos Grupos Corais do concelho.

Esta classificação reflete também uma aposta clara na definição de uma estratégia global de salvaguarda do Cante no concelho, processo esse que está em curso, e que se expressou na criação recente do Observatório e Centro de Documentação do Cante Alentejano, a funcionar no Centro de Artes e da Viola Campaniça.

O Cante Alentejano, Património Cultural Imaterial da Humanidade desde 2014, reforça o diálogo entre diferentes gerações, géneros e indivíduos de diferentes origens, contribuindo para a coesão social no concelho de Castro Verde, pelo que esta classificação vai ao encontro dos objetivos da autarquia na promoção de iniciativas que valorizem, preservem e dinamizem o património cultural do concelho.

Basílica Real vai ser Monumento Nacional

A decisão foi confirmada à Câmara Municipal no início deste mês de fevereiro pela Direção Geral do Património Cultural que, através da Secção do Património Arquitetónico e Arqueológico do Conselho Nacional de Cultura, deu parecer favorável ao projeto de decisão submetido pela Direção Regional de Cultura do Alentejo (DRCA), visando a reclassificação do mais icónico monumento religioso do concelho de Castro Verde.

O Presidente da Câmara Municipal de Castro Verde, António José Brito, considera que este é “um momento que engrandece Castro Verde e a sua população, mas também representa um ato de justiça para com o mais importante monumento do concelho, que orgulha todos os castrenses”.

“A rica história do monumento e o seu estreito vínculo à fundação da nacionalidade há muito tempo que mereciam esta importante decisão. Felizmente, desde 2017, foi possível ‘juntar visões semelhantes’ e construtivas, num processo fundado na vontade comum da Câmara Municipal e da Paróquia de Castro Verde. Mas é justo relevar também o papel do Governo, através da Direção Regional de Cultura do Alentejo, e da Somincor, enquanto mecenas e empresa com notória responsabilidade social”, salientou.

O projeto de decisão encontra-se, neste momento, em processo de Consulta Pública durante 30 dias úteis, no site da Direção Geral do Património Cultural (www.patrimoniocultural.gov.pt), no menu Património > Classificação de Bens Imóveis e Fixação de ZEP > Consultas Públicas > Ano em Curso, podendo as observações dos interessados ser apresentadas à Direção Regional de Cultura do Alentejo (DRCA) até 25 de março de 2022.

Oficinas de Danças de Tradição do Mundo retomam a 7 de Março em Castro Verde

A Associação Pédexumbo e a Câmara Municipal de Castro Verde retomam, no próximo dia 7 de março, as Oficinas de Danças de Tradição do Mundo.

As aulas realizam-se todas as segundas-feiras, no Bar das Piscinas Municipais de Castro Verde, a partir das 18h00.

Dinamizadas por Marta Guerreiro, professora de danças tradicionais da PédeXumbo – Associação para a Promoção de Música e Dança, estas oficinas são uma viagem por ritmos e coreografias de outros países e dão continuidade à promoção de hábitos regulares de danças sociais, através de uma abordagem criativa.

Para dançar sozinho, em par ou em grupo, as Danças do Mundo são recomendadas para quem dança, mas também para quem nunca dançou e se quer divertir!

Junte-se a este convívio e contribua para o seu bem-estar!

As inscrições (12€ mensais) estão abertas e podem ser efetuadas em https://inqueritos.cm-castroverde.pt/index.php/897983… ou no Centro de Artes e da Viola Campaniça de Castro Verde (? 286 320 040).