Depois de catorze anos de história e estórias o dia 25 dfe Novembro de 2017 vai ficar na história da casa do Benfica de Castro Verde, pois foi justamente neste dia que foi inaugurada oficialmen, uma cerimónia que contou com a presença do presidente do S L Benfica, Luis filipe Vieira..
O presidente do Glorioso, que se fez acompanhar por alguns dirigentes e o ex-jogador Veloso, começou por ser recebido nos Paços do Concelho pelo presidente da Câmara de Castro Verde, António José Brito, seguindo depois para a Casa do Benfica, onde decorreu a cerimónia de inauguração. Seguiu-se um jantar na Escola Secundária, onde o líder benfiquista teceu duras críticas ao momento que se vive no futebol português.

“O futebol tem de ser uma festa, em que as famílias participem, em que os adeptos expressem de forma positiva o seu amor ao clube. Daí que se exija o bom senso da parte de todos os intervenientes nesta importante indústria, que vive actualmente um caos, em, que nós não queremos estar”, disse Luís Filipe Vieira.

Aproveitou ainda a ocasião para elogiar o papel das Casas do Benfica, como a de Castro Verde, no projecto do clube e deixou uma garantia: o Benfica tem “uma estratégia bem definida, um caminho também bem definido, que não vai ser alterado à menor contrariedade que possa existir”.

Antes do discurso de Vieira no jantar falaram os presidentes da Câmara Municipal e da Casa do Benfica de Castro Verde.

O autarca António José Brito sublinhou tratar-se de uma “grande honra para Castro Verde” receber o presidente do Benfica, lembrando dois jogadores encarnados bastante ligados ao concelho: Frederico, na década de 80, e o jovem Diogo Gonçalves, que integra o actual plantel sénior.

António José Brito disse igualmente que em Castro Verde a Câmara Municipal vai “manter o incentivo da prática desportiva” entre os mais jovens. “Vamos fazer com que os jovens do nosso concelho continuem a ter as mesmas oportunidades e as mesmas possibilidades que tem noutros pontos do país”, garantiu.

Por seu lado, o presidente da Casa do Benfica de Castro Verde reconheceu ser um “dia especial” para a instituição. “É um dos momentos altos da sua história e marca todo o trabalho desde a sua fundação”, vincou José Carlos Tomé.