O número de casos de maus tratos a crianças não tem sofrido “um aumento significativo” durante a pandemia da Covid-19. Esta realidade mostra que os maus tratos estão a diminuir, mas por outro lado pode querer dizer que as denuncias “não estão a chegar às CPCJ’s – Comissão de Proteção de Crianças e Jovens”.
O Mês Internacional da Prevenção dos Maus-Tratos na Infância assinalou-se e as celebrações de forma diferente, mas com o mesmo objetivo: prevenir e alertar a sociedade para a não violência nas crianças e jovens.

A Comissão Nacional de Promoção dos Direitos e Proteção das Crianças e Jovens defende que “a prevenção [dos maus tratos] é a grande aposta” para por fim a este flagelo”.
Em Portugal, ainda “existem muitas situações graves que não deviam acontecer”. Em seu entender “as escolas têm um papel fundamental, para mostrar que [os maus tratos] não são aceitáveis”.